Opinião: Menos Jabor, Menos

Arnaldo Jabor

Antes de tudo, quero deixar claro que não tenho ambição de me comparar ao renomado escritor, cineasta e crítico Arnaldo Jabor, afinal esta comparação é no mínimo ridícula. Jabor possui 8 longas, um Urso de Prata (festival de Berlim, pelo filme Toda Nudez Será Castigada), 6 livros publicados e uma coluna na rádio CBN. Um currículo invejável.

No dia 06 de junho, foi publicado no site da CBN, um podcast de Jabor referente ao filme Se Beber, Não Case! 2, reduzindo a comédia a um punhado de lixo e criticando duramente o atual caminho que o cinema mundial está trilhando, clique aqui e ouça.

 O filme

Graças ao primeiro filme estava bastante motivado a assistir a sua sequência, todo o ódio declarado por Jabor me motivou ainda mais.

Basicamente o filme é o mesmo que o primeiro, porém rodado em Bankok ao invés de Las Vegas. Toda originalidade do filme de 2009 se foi, o roteiro se desenvolve exatamente da mesma maneira, mas isso não incomoda (pelo menos a mim) afinal não esperava uma obra prima do cinema, e sim apenas entretenimento. E é isso que Jabor parece não aceitar em sua crítica, o fato de existir filmes “apenas” para entreter as pessoas.

 Além de Sex in the City

 Se Beber, Não Case! é um filme para um nicho, no caso o homem e sua vontade de extrapolar, assim como Sex in The City é um filme para a mulher moderna ou a saga Crepúsculo uma série de adolescentes sensíveis. Todd Phillips, diretor das duas obras, conseguiu ir além de um filme de nicho, agradando a todo tipo de gente, o que é um grande mérito, pois poderia ter sido considerado machista.

Como o segundo filme mantém todos os elementos do primeiro, continua a agradar todo o tipo de pessoas, tanto que o filme assumiu o topo de arrecadação nos cinemas americanos (mais de 217 milhões de dólares, até agora) no ano, passando blockbusters como Piratas do Caribe, Thor e X-Men.

 O cinema hoje

Muito da fúria de Jabor contra o filme deve se o fato da baixa qualidade do cinema atual. Os roteiros estão cada vez mais “for dummies” e a originalidade simplesmente sumiu.

Ao ver as 15 maiores bilheterias do ano (nos EUA, fonte boxofficemojo) temos 4 continuações, 4 animações, 3 roteiros baseados em quadrinhos, 1 comédia romântica, 1 thriller baseado em livro e 1 ficção. Olhando para este ranking é notável a falta de filmes com grandes méritos, infelizmente uma constante nos últimos anos. O que vemos nos cinemas é um punhado de remakes, reboots, sequências e roteiros baseados em videogames (!!). A originalidade parece ter sumido e nisso concordo com Jabor, é triste ver os rumos que o cinema está tomando.

O público em geral se mostra cada dia mais “domesticado” e menos crítico, em um círculo vicioso, o cinema vai se tornando mais simplificado e em oportunista.

 Eu gostei

Se Beber, Não Case! 2 é um ótimo entretenimento, pecando pela falta de originalidade, todavia não merece a ira distribuída pelo Arnaldo Jabor, principalmente pelo tanto de filmes ruins que o mercado apresenta.

Um filme oportunista sim, mas bem executado e divertido.

Anúncios

6 Respostas

  1. Concordo, é um filme bem executado porém nada original. Me diverti assistindo e sai do cinema mais leve, por isso recomendo o filme!

  2. Acho que na fala do Jabor não há uma crítica ao cinema de “entretenimento” ou cinema “comercial” (há um momento que ele cita o bom caso de “cantando na chuva). Ele critica o cinema burro!

    Essa é minha única observação negativa ao post, concordo com a opinião emitida sobre o baixo nível das produções dos EUA.

    É triste perceber que as pessoas assistem um filme exatamente igual ao primeiro, exceto pelo cenário e detalhes, acham “excelente” e apedrejam quem critica, com adjetivos como “chato” ou “infeliz”.

  3. Eu assisti, e apenas mais um besteirol. Diverte. Que eu entendo que e o objetivo do filme.
    Quanto a qualidade dos filmes, penso que o publico ajuda bastante. O fato e que a maioria das pessoas nao esta interessada em pensar, mas querem consumir. E o homem contra ele mesmo. DAs poucas pessoas que gostam de ler, a maioria acredita que auto ajuda leva a alguma reflexao. O grande problema e quando apenas esse tipo de filme/livro sao produzidos e que pelo gosto do cliente esta proximo de acontecer.

  4. Eu também sou contra a bebedeira. O álcool de fato faz a gente brochar e isso não é muito legal. Eu sugiro uma coisa melhor. Visite o Pornô Selecionado (pornoselecionado.blogspot.com). Felicidades e sucesso para vocês. Assim falou Marcão.

  5. Cara na boa, Jabor como critico….
    Pode escrever bem, ter feitos filmes bem(mesmo nunca tendo me interessado em ler e ver filmes dele, e nunca vou ver…)… Mas como critico… Sei não, acho muito sensionalista e babaca… Quando ele fala, mudo de canal, sei que só sai merda…
    Não baixe sua bola cara, criticar tds somos capazes, apenas tente ser honesto, não se compare a Jabor ou a qualquer outro.. Curriculo para senso critico não existe. Fazendo uma critica realista onde todos podem encontrar.. Ainda não assisti o filme, porém tds podem criticar, inclusive vc, fale o que pense e exista! E vai por mim, comparando, muita gente eh melhor que aquele velho escroto…

  6. Não gosto do Arnaldo Jabobo, ele parece ser uma pessoa amarga…não pretendo, todavia, ver esse filme, nem qualquer outro dessa lihagem, isso é sub-cultura americana, o Arnaldo deve estar certo, infelizmente bilheteria não é nem nunca foi sinônimo de qualidade e, está surtindo efeito, os produtotres enchem o rabo com a grana desse povinho.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: