Cinefilando Crítica: Avatar E.E.

Avatar E.E.

(Avatar S.E.)

Ano: 2010

Gênero: ação-aventura

Mídia: cinema (IMAX 3D)

Avatar é o maior filme da história, pelo menos quando analisado os seus números, arrecadou no mundo $2.7 bi, quase um bi a mais que o segundo lugar – o famigerado Titanic – (fonte: boxofficemojo) e custou aproximadamente $500 milhoes (fonte: G1.com), também um recorde.Nao contente James Cameron, diretor e idealizador do projeto Avatar, resolveu caçar mais alguns níqueis lançando esta versao novamente nos cinemas (apenas 3D) com adiçao de 8 minutos, como se os 161 minutos anteriores nao fosse suficiente…

Aproveitando o re-lançamento, fui ao cinema ver este tao falado filme, aproveitei para ter o máximo em experiencia afinal de contas, a promessa era de uma enxurrada de efeitos especiais, entao lá fui eu no IMAX…

O filme se inicia e nao demora para a tão falada Pandora se mostrar, os minutos vao passando e o que era interessante no início se torna extremamente… chato, plantas e mais plantas coloridas e um monte de animais que parecem ter sido inspirados em desenhos de crianças de 7anos, posso estar sendo cruel, mas o que eu li e ouvi por ai era que James Cameron havia criado uma fauna e flora totalmente inovadora e nao foi isso que eu vi. Após os longos minutos onde o novo planeta é mostrado a ação começa, mesmo não sendo um fã de filmes de ação me senti aliviado afinal de contas já estava cansado do marasmo de Pandora, porém logo cansei da ação e em seguida me cansei da história cheia de chiches.

Finalmente após quase tres horas de filme o final Hollywoodiano chegou e eu pude, finalmente, ir embora do cinema.

O lado positivo foi que Avatar serviu para tirar algumas conclusões:

IMAX não passa de uma tela muito grande não influenciando na experiencia de assistir ao filme.

Se o cinema espera ser salvo da concorrencia do download pelo 3D, e  Avatar conseguiu utilizar cem porcento da técnologia, o cinema não terá salvação.

Como um amigo disse uma vez James Cameron sabe fazer dinheiro, cinema de qualidade eu desconfio que não sabe (mesmo com filmes como Alien e Exterminador do Futuro 2 no seu currículo).

Não vou dizer que o filme não possui bons momentos, belas imagens, audio competente e boa direção, possui tudo isso, mas não merece todo o hype criado em volta.

Um filme de ação-aventura como outro qualquer.

Nota: 5,6

 

 

Posts relacionados >

 

◊  22-02-2010 – Crítica Avatar <por Newton X.>

Lançamentos: Avatar S.E.

lancamentos Avatar – Special Edition

Sim… Avatar vai voltar aos cinemas!

Com oito minutos a mais o filme volta a ser exibido nos EUA neste mês de agosto (apenas em cinemas 3D e Imax), e previsão para outubro no Brasil.

Caça-Níquel descarado.

Leia a crítica aqui.

Cinefilando Crítica: Avatar

Avatar

(Avatar)

Ano: 2009

Gênero: ação

Mídia: cinema

Ainda não assisti o tão falado Avatar, então pedi a ajuda a um grande amigo para fazer a crítica do filme de maior bilheteria de todos os tempos.

Leia.

***************************************************************************************************************************

Um mundo novo! Nada de novo.

Aqui no meu planetinha fazia tempo que um filme não fazia tanto barulho. Avatar. Fui conferir.

O que assisti foi um filme como qualquer outro, candidato a melhor filme de todos os tempos – pelo menos até o verão estadunidense, quando a meia dúzia de estúdios que comandam o negócio cinematográfico escolherem outro para suplantá-lo.

O mote do filme é o tal “choque de mundos”. Filmes que falam disso povoam as telonas pelo menos desde os anos 70. Vale à pena lembrar o filme estrelado por Dustin Hoffman, “Pequeno Grande Homem”, um dos primeiros filmes de Faroeste que tendeu a respeitar a cultura dos indígenas, na onda da contracultura e ainda sob influência do livro “Enterrem meu coração na Curva do rio”, de Dee Brown, ou o menos antigo “Dança com Lobos”, que levou este novo olhar às últimas consequências. Por motivos que não sei explicar, ninguém que eu conversei até agora e nenhuma crítica da mídia, viu isso no filme. Será que foram as luzes e montanhas suspensas do planeta Pandora? Os efeitos visuais ou os sons maravilhosos que revolucionarão o jeito de fazer cinema, como a Revista Veja publicou? Não sei.

A personagem que me chamou a atenção foi interpretada por Sigourney Weaver. Para não me alongar e não abusar do convite que me foi feito por este blog, só peço que assistam ao filme “A Missão”, que trata do trabalho dos jesuítas no Paraguai. Obviamente o filme não tem rigor historiográfico e não quero discutir isso, mas essa figura do “mediador que estuda o outro” está lá. Quase confundi a tal doutora com o padre interpretado por Jeremy Irons no Filme. A diferença é que os objetivos do padre eram claros: conhecer para catequizar, incorporar na cristandade. Os dela nem tanto. O porquê da mediação era a exploração comercial, que ela aparentemente era contrária…

A crítica feita ao capitalismo destruidor dos exploradores do planeta pandora, que sem dúvida são o microcosmo da raça humana do século XXII, época em que se passa o filme, não é nova também. No mundo atual eu nem sei a reprodução desse tipo de crítica feita desde os anos 60 tem relevância. Uma lição de moral como aquelas do final dos desenhos do He-Man e da She-Ra.

De maneira geral o filme me deixou a impressão de uma mistura de alguns filmes de Faroeste, descoberta da América, Alienígenas, misturados num liquidificador e temperados com uma maciça dose de dólares. Teve até um casalzinho a La Pocahontas, até ouvi gritinhos de “ai, que lindo”. Não propôs inovação nenhuma no conteúdo, apenas na embalagem. Um pastiche de grandes filmes.

Por último uma ressalva para o comentário mais freqüente ante esses meus questionamentos: por que cobrar um filme desses de coisas que ele não propõe fazer? É um filme comercial! Pois é. Nisso o filme é genial. Parece estar superando as expectativas de ganho e o diretor James Cameron ficará mais rico, e nem precisará explorar o tal minério extraterrestre que é a causa de discórdia no planeta Pandora. Parabéns!

(Como é costume nesse blog): nota 5,5.

****************************************************************************************************************************

Crítica por Newton Xavier, leia o seu blog Qualquer Dia Mal Escrito.

Informações: Avatar bate os 2 bi

Avatar 2 Bilhões

Segundo o site Omelete, Avatar acaba de ultrapassar a histórica marca de 2 bilhões de dolares em arrecadação. Qual é o limite de Avatar?

Informações: Avatar – A Maior Arrecadação

Avatar o novo recordista

Recorde de 13 anos, de Titanic, é derrubado por Avatar. O filme superou 1,858 bilhão de dólares, em apenas seis semanas de exibição, ou seja, é muito provável que logo a histórica marca de 2 bilhões seja alcançada.